Projeto EmCenaCatarina promove apresentações

  • Redação Clubei

Projeto EmCenaCatarina promove apresentações

Alice_Foto_Fernanda_de_Freitas-680x425O projeto EmCenaCatarina do Sesc promove apresentações gratuitas do espetáculo infantil “Um, Dois, Três: Alice!”, da Tespis Cia de Teatro (Itajaí/SC), em 24 cidades catarinenses entre setembro e outubro. Livremente inspirado em “Alice no País das Maravilhas” e “Alice Através do Espelho” de Lewis Carroll, esta montagem explora a ludicidade tanto no jogo corporal dos atores como no uso de objetos em cena.

Para contar a aventura de Alice, que mergulha em um mundo cheio de enigmas e fantasias, a Téspis Cia de Teatro, lança mão de diversos elementos, como: cenários que se movem e se transformam em diversos ambientes, objetos de brinquedo que ajudam a compor os personagens e a utilização de projeção de vídeos. O Coelho Apressado, A Rainha de Copas, A Duquesa, A Lagarta, O Chapeleiro Maluco, Os Animais da Floresta, As Cartas de Baralho e Alice, encontram-se novamente para recontar essa história que tem mais de 150 anos, mas não deixa de encantar crianças e adultos.

As primeiras apresentações acontecem durante o projeto Aldeias Palco Giratório em Jaraguá do Sul (12/09) e Joinville (14/09). Após, segue para Canoinhas, (15/09), São Bento do Sul (17/09), Itajaí (18/09), Balneário Camboriú (19/09), Florianópolis (20/09), Tijucas (21/09), Brusque (23/09), Blumenau (24/09), São Miguel do Oeste (09/10), Chapecó (10/10), Xanxerê (12/10), Joaçaba (13/10), Concórdia (14/10), Caçador (16/10), Lages (17/10), Lages (18/10), Rio do Sul (19/10), Vidal Ramos (21/10), Pouso Redondo (22/10), Criciúma (23/10), Tubarão (24/10) e Laguna (26/10). Em Chapecó e Laguna o grupo ministra oficina. A programação de cada cidade pode ser consultada em: http://portal.sesc-sc.com.br/evento/1612

O EmCenaCatarina é o maior projeto de circulação de espetáculos catarinenses. A cada ano, três grupos de teatro ou dança de Santa Catarina percorrem todas as unidades do Sesc e instituições parceiras, levando gratuitamente um recorte do melhor da produção local na linguagem, em apresentações gratuitas. A curadoria é realizada anualmente e seleciona exclusivamente espetáculos produzidos no estado, tendo como critério primordial a qualidade de encenação. Para 2014, além da peça “1, 2, 3 Alice”, da Cia. Téspis (Itajaí/SC) foram selecionados os espetáculos “Bom Apetite” da Cia. Pé de Vento (Florianópolis/SC) e “A Caixa”, da Cia. Mútua (Itajaí/SC).

+ Sobre o espetáculo “Um, Dois, Três: Alice!”

Contada através da literatura, cinema e teatro por inúmeras vezes, adaptada de diversas maneiras para crianças e adultos, a imortal obra de Lewis Carroll ganha uma nova leitura pela Téspis Cia. de Teatro, para crianças de todas as idades: “Um, Dois, Três: Alice!”. Para reconstruir o universo fantástico criado por Carroll, a Cia. aposta na ressignificação dada para objetos comuns e cotidianos, encontrados facilmente na casa de qualquer pessoa. Além disso, através do jogo de cena apresentado pelos atores, o espetáculo abre um campo imaginário facilmente reconhecível nas brincadeiras infantis. Onde, nesse caso, todos podem ser Alice e correr atrás do coelho, ou ser o Chapeleiro Maluco e se deliciar com um pontual e inusitado chá das cinco.

“Se por um lado tudo já parece ter sido feito com esta obra, percebemos que algumas ideias que temos sobre ela não passam de uma pequena parte de seu potencial gerador de signos e relações criativas. Dessa forma, optamos por jogar com todas as ideias que tínhamos pré-estabelecidas sobre as Alices de Carroll e também com a linguagem com a qual ele estabelece em seus dois livros utilizados para construir essa encenação”, explica Max Reinert, diretor do espetáculo.

A complexa obra de Carroll é conhecida pelo sentindo nonsense e pela ambiguidade nas particularidades de cada personagem que Alice encontra em meio à sua aventura. Essa característica é potencializada e explorada dentro do processo de montagem do espetáculo. Aliás, essas são ferramentas que a Cia. utiliza para que o público se divirta através das situações inusitadas criadas nesse diálogo entre os atores e a própria obra de Lewis Carroll. “A Alice construída pela Téspis Cia. de Teatro acredita no jogo. Acredita na capacidade dos espectadores em construir, a partir das sugestões dadas pela encenação, sua própria versão da história e dos personagens. Acredita que a sugestão, em muitas ocasiões, pode ser mais interessante que a apresentação de uma imagem em sua totalidade”, completa Reinert.

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.